Tradução

domingo, 8 de dezembro de 2013

Investimentos e qualidade de vida andam juntos

A grande maioria da população acha que poupar significa sacrifício e não veem essa atitude como uma oportunidade para uma vida melhor, com mais saúde, qualidade de vida, segurança e felicidade.

Muitas vezes seduzidos por campanhas de marketing milionárias e por uma necessidade de autoafirmação social que muitas vezes ultrapassa os limites, sucumbindo em dívidas contraídas com compras de bem de consumo desnecessários.

A cultura de poupar pode trazer inúmeros benefícios para sua vida e sua saúde, resultando em mais felicidade para você e sua família.

O ato de poupar não deve ser associado a sacrifício e sim a bem estar. Já que quanto maior for sua capacidade de poupar, maior será sua capacidade de realizar sonhos e evitar imprevistos.

Imagine o que poucos reais por mês podem fazer em sua vida. Essa atitude fará toda a diferença entre viver apertado com o dinheiro acabando antes do fim do mês (gerando stress e preocupação) e não ter que esquentar a cabeça, pois caso ocorra um imprevisto você estará preparado (gerando segurança e tranquilidade).

Evite gastos desnecessários e supérfluos, guarde um pequeno valor mesmo que considere insignificante. Essa pequena porção hoje será uma grande fatia amanhã, este pequeno esforço hoje pode amanhã realizar grandes sonhos, como viagens internacionais, faculdade, casa própria ou simplesmente dar mais conforto para sua família.

Veja que o dinheiro poupado não está parado, e sim trabalhando a seu favor, crescendo cada vez mais. Entenda a diferença entre um gastador e um poupador.

Mentalidade do gastador:

O gastador não tem controle sobre seus gastos, não tem noção por onde seu suado dinheirinho está saindo. Esta sempre preocupado pois o dinheiro não dá até o fim do mês, geralmente recorre a financiamentos e não tem planejamento para o futuro. Se algo ocorrer com ele ou sua família estará a mercê da sorte ou da ajuda de parentes.

Está sempre sonhando e nunca consegue realizar seus sonhos porque sua renda está sempre comprometida, sacrificando a família por conta de sua falta de controle e organização.

No fim da vida acaba passando por situações difíceis, já que a aposentadoria não o sustenta, e muitas vezes acaba dependendo dos filhos ou parentes para sobreviver.



Mentalidade do poupador:

Já o poupador possui maior controle sobre seus gastos, não se seduz facilmente com itens desnecessários e consegue gastar seu dinheiro com muito mais qualidade, atingindo resultados que o gastador não consegue atingir. Como tem a consciência de guardar o que sobra no fim mês, acaba pagando menos pelas coisas, já que sempre paga avista.

Não entra em financiamentos pois sabe o quanto se perde com este tipo de transação. Se algum imprevisto ocorrer não irá se preocupar muito, pois dinheiro será o menor dos problemas, apenas lamentará o ocorrido e seguirá em frente sem grandes preocupações.

O poupador também é um sonhador, mas diferente do gastador, quase sempre realiza seus sonhos (viagens, casa própria, conforto, etc) e de sua família também (educação, lazer, bens), proporcionando muito mais bem estar, felicidade e segurança, com muito menos stress.

No fim da vida tem plenas condições de se sustentar, podendo desfrutar tudo que a melhor idade pode lhe proporcionar. Geralmente após a morte, este deixa um legado de cultura e bens materiais para seus filhos, tornando a vida de seus entes queridos muito mais tranquila.

Afinal, quem disse que dinheiro não traz felicidade? Dinheiro não traz felicidade, mas lhe ajuda a passar momentos felizes com sua família.

Portanto, antes de comprar qualquer supérfluo, pense na sua utilidade e no stress que ele lhe causará e a sua família também. 
Gaste com sabedoria e no que realmente interessa. VOCÊ!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário