Tradução

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Virando a mesa e saindo do vermelho



Fim de ano está chegando, período de festas, natal, ano novo e logo depois da virada do ano já começam as preocupações com os grandes gastos, IPTU, IPVA, escola dos filhos, material escolar, imposto de renda e por ai vai. Porem como arcar com todos estes compromissos e mais as dívidas remanescentes dos anos anteriores? Como financiamentos, cartões de crédito, dívidas no banco, isso acaba virando um pesadelo!

Nos posts anteriores falei sobre independência financeira, geração de riqueza einvestimentos, porem antes de começar a investir é preciso primeiro arrumar a casa, ou seja, colocar as contas em dia, gastar menos do que ganha para economizar e finalmente investir no futuro. Para isso devemos tentar identificar onde estão ocorrendo os maiores gastos e se possível eliminá-los ou minimizá-los gerando um fluxo de caixa positivo no mês, o qual inicialmente será destinado a quitar as dívidas e uma vez livre dessas parcelas, utilizar este excedente para sua independência financeira. 

Parece muito complexo mas não é, basta seguir alguns passos e ver o resultado no fim do mês. O primeiro passo e mais importante é entender o seu fluxo de caixa, de onde vem o dinheiro e para onde vai este recurso. Para isso devemos identificar todos os valores que entram e saem de nossa conta, utilize uma agenda de anotações para identificar essas entradas e saídas ou se preferir utilize a planilha que estou disponibilizando neste post, existem várias planilhas, programas e arquivos para controle financeiro na internet, fique a vontade para utilizar o recurso que achar mais confortável, o importante é conseguir visualizar essas informações de forma clara.

Para identificar onde estão os principais causadores do seu saldo negativo faça o seguinte exercício, anote em sua agenda ou planilha durante um mês inteiro todas as entradas e saídas de capital, porem todas essas atividades devem ser identificadas com valor, descrição, data, hora, tipo de pagamento e categoria.

É MUITO IMPORTANTE QUE VOCÊ NÃO ESQUEÇA DE ANOTAR NENHUMA MOVIMENTAÇÃO, SEJA ELA EM FORMA DE DINHEIRO VIVO OU VIA BANCO!!!!


Para isso devemos entender o que é entrada e saída de recursos, entrada de dinheiro é todo o dinheiro que entra na sua conta seja seu salário, aluguel de imóvel, sociedade em negócios, bicos, etc., já a saída de dinheiro são suas despesas fixas ou eventuais como aluguel, alimentação, transporte, lazer, presentes, etc., assim você consegue saber o quanto recebe e o quanto pode gastar no mês.

O Segundo passo é identificar quais são seus gastos fixo e variáveis, pois gastos fixos são aqueles que ocorrem todos os meses como aluguel, luz, telefone, parcelas de empréstimos e financiamentos, etc. e os gastos variáveis são aqueles que nem sempre ocorrem ou aparecem em períodos indeterminados, como restaurantes, gasolina, despensas médicas inesperadas, remédios, aquele salgadinho para matar a fome no fim do dia, cafezinho, etc. Após o pagamento das contas fixas podemos saber quanto nos resta para gastar durante o mês e assim definir um melhor destino para este capital.

Exemplo 1: Imagine que um trabalhador que recebe R$1000,00 por mês de salário e possui R$500,00 de gastos fixos, sendo assim terá R$500,00 disponíveis que serão utilizados ao longo daquele mês. Por tanto é muito importante prestar atenção na qualidade dos seus gastos e não apenas no valor.

Inicialmente devemos prestar mais atenção aos gastos variáveis, pois na maioria das vezes são eles que minam nosso orçamento mensal. Então, após anotar todas as despesas durante o mês faremos a categorização dos gastos variáveis ou seja, vamos criar categorias em que esses valores possam ser enquadrados como remédios, transportes, automóvel, alimentação, vestuários, presentes, etc., assim poderemos identificar os principais causadores de baixas em nosso orçamento. Na grande maioria das vezes efetuamos pequenos gastos desnecessários e recorrentes, como aquele cafezinho após o almoço, um salgadinho no fim do dia, aquele sapato que estava em promoção, etc. gerando um rombo em nosso bolso no fim do mês. Tente ao máximo evitar este tipo de gasto, não estou falando para abdicar de prazeres da vida e muito menos passar fome, porem para que possa ficar livre das dívidas vale abrir mão temporariamente de algumas coisas por exemplo, comer em restaurantes mais baratos, evitar o cafezinho após o almoço ou o salgadinho no fim do dia, evitar a compra por impulso somente porque está na promoção, àquela pizza de todo domingo procurar substitui-la durante dois fins de semana por um sanduba feito em casa, ou seja, encontre maneiras de diminuir os gastos para que possa terminar o mês no azul.

Caso possua dívidas, evite adquirir novas mesmo que sejam por curto prazo, porque quando se tem dívidas quem ganha são os outros e não você. Procure taxas de juros menores que a que possui atualmente, pois a diminuição de 0,5% ou 1% de juros pode representar uma enorme economia no seu bolso, negocie com seu credor atual, antecipe parcelas e peça desconto, quanto antes se livrar delas melhor.

Se seu problema não são os gastos variáveis, procure olhar atentamente para os gastos fixos e identificar o que pode fazer para diminuí-los, seja gastando menos energia em casa, usando transporte público e evitando o carro, diminuindo sua conta de telefone, negociando com as operadoras de serviços por um desconto na fatura, existe sempre uma forma de reduzir esses valores. Porem não adianta nada reduzir gastos fixos e utiliza-lo nos gastos variáveis, pois o objetivo é sobrar dinheiro no final do mês para diminuir suas dívidas (pagando mais parcelas, negociando descontos para adiantamento das mesmas, etc.) e por fim começar a investir na sua qualidade de vida. Você ficará mais tranquilo e se sentirá melhor.

Por tanto, aproveite este fim de ano para organizar suas contas, planejar sua virada de mesa ficando no azul e começar o ano que com muito mais qualidade de vida, pois só o fato de saber que está no caminho certo com seus gastos já traz muito mais tranquilidade. Mãos a obra!!!

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Tem tempo para trabalhar e não tem tempo para ganhar dinheiro



É normal em nosso dia-a-dia escutarmos a seguinte frase "Estou super atarefado no trabalho e não tenho tempo para nada. Prefiro que meu banco administre meu dinheiro".

Nos dias de hoje o acompanhamento e administração do seu patrimônio é quase tão importante quanto o seu trabalho, pois é ele que irá lhe proporcionar uma vida melhor no futuro e uma aposentadoria confortável.

Portanto é muito importante que dedique uma pequena fração do seu tempo na semana para estudar as diferentes formas de investimento, qual modelo melhor se encaixa ao seu perfil e comparar suas rentabilidades com os demais investimentos.

O mercado é como um organismo vivo que reage constantemente com as mudanças que ocorrem na economia nacional e global, ou seja o que há alguns anos era um bom investimento pode hoje não ser mais a melhor opção. Sendo assim, cabe a você sempre buscar as melhores oportunidades.

Isso também pode ser feito pelo seu gerente de banco? Sim, porem seu gerente trabalha apenas com uma pequena fração dos investimentos existentes, somente aqueles oferecidos pelo seu banco o que não necessariamente é o melhor investimento para você. 

Pois um banco jamais irá indicar um investimento de um concorrente, mesmo que este tenha uma rentabilidade maior. Seu gerente administra diversas contas de clientes e nunca será capaz de dedicar a mesma atenção que você dá a seus investimentos pois os objetivos são diferentes.

Além disso existem inúmeras opções no mercado com diferentes rendimentos, riscos e taxas de administração, como fundos, títulos, ações, moedas, commodities, imóveis, negócios, contratos, as possibilidades são inúmeras, cabe a você definir o que é melhor para sua carteira.

Quanto mais conhecimento tiver sobre o assunto, mais oportunidades você será capaz de identificar e maior será o seu rendimento, pois o mercado está sempre oferecendo oportunidades de ganho.

Fique atento aos detalhes, pois são estes detalhes que fazem toda a diferença no futuro, quanto maior for o percentual atingido por seus investimentos ao longo do ano melhor será seu resultado no futuro. Digamos que seu investimento de R$100.000,00 tenha um rendimento de 6% ao ano e que a projeção desse investimento em vinte anos seja de R$331.020,45. Após o seu esforço de melhorar o percentual de rendimento, este investimento tenha atingido 8% ao ano, projetando este valor pelos mesmos vinte anos chegaremos a uma quantia de R$492.680,28 , isso resultaria em uma diferença de mais R$161.659,83 em seu patrimônio.

Lembre-se, um pequeno ganho percentual agora representará algumas centenas ou até milhares de reais a mais em seu bolso. Então não perca tempo, aproveite as oportunidades!!

sábado, 17 de novembro de 2012

Não trabalhe por dinheiro, faça-o trabalhar por você!



Tomando como base o tema anterior "Independência financeira", o primeiro passo para esse objetivo é entender o conceito de geração de riqueza perpétua, ou seja, poupar sempre. O segundo passo é fazer o dinheiro trabalhar para você e gerar frutos.

Imagine uma criação de aves, estes animais são alimentados diariamente sob sua supervisão onde irão se desenvolver e procriar gerando mais aves ao longo do tempo. Nos primeiros anos você terá que comprar os animais, até o momento que a quantidade de filhotes seja maior que a sua produção (abate) mensal, aumentando cada vez mais a sua criação.

O mesmo ocorre com seu dinheiro! Fazendo uma analogia da criação de aves, os animais são o seu dinheiro, a ração é o juros e como resultado mais filhotes, o que equivale a mais dinheiro. Não existe nenhuma formula mágica e sim determinação e perseverança.  Para isso precisamos entender o que é "juros a seu favor" e "juros contra você". 

Juros contra você ocorre quando se faz uma dívida, financiamento, parcelamentos mesmo que "sem juros" já que o mesmo está embutido no preço, qualquer tipo de divida. Nesse momento quanto mais tempo passa mais difícil fica para pagar, consequentemente mais dinheiro se perde. 

Exemplo 1: Você faz um financiamento de R$10.000,00 em vinte quatro prestações de R$557,60, ao quitar o empréstimo terá desembolsado a quantia de R$13.382,40, terá pago muito mais pelo bem que desejava adquirir.  (Fonte: simuladores na internet)

Financiamento R$N. ParcelasPrestaçõesTotal
R$10.000,0024R$557,60R$13.382,40

Juros a seu favor é todo investimento que lhe remunere ao longo do tempo, através de uma taxa de juros. Existem diversos tipos de investimento tais como poupança, fundos, títulos, ações, etc porem neste post não entraremos em detalhes sobre qual é o melhor investimento. Quanto mais tempo passa mais o seu dinheiro aumenta, através dos juros sobre juros, como mostro no exemplo a seguir:

Utilizando o mesmo exemplo 1 como base, para a comprar o bem de R$10.000,00 com juros a seu favor. Aplicando o mesmo valor da parcela R$557,60 em aproximadamente quinze meses você terá comprado o mesmo bem pagando apenas R$8.364,00 pois como você irá pagar a vista na loja, poderá negociar um desconto (aproximadamente 5% á 10%) e mais os juros aplicados ao seu investimento, lhe economizando um total de R$ 1.636,00. Caso opte por continuar poupando as parcelas pelo resto dos vinte e quatro meses terá economizado um total de R$6.421,00. Imagine fazer isso para todas as sua compras e investir este lucro para sua independência financeira.

ParcelaValor AcumuladoJuros (%)Correção (R$)Valor AdicionalImposto ImpostosTotal (R$)
1R$557,601%5,58R$557,60

R$1.120,78
2R$1.120,78
1%
11,21
R$557,60


R$1.689,58
3R$1.689,58
1%
16,90
R$557,60


R$2.264,08
4R$2.264,08
1%
22,64
R$557,60


R$2.844,32
5R$2.844,32
1%
28,44
R$557,60


R$3.430,63
6R$3.430,63
1%
34,30
R$557,60


R$4.022,27
7R$4.022,27
1%
40,22
R$557,60


R$4.620,09
8R$4.620,09
1%
46,20
R$557,60


R$5.223,89
9R$5.223,89
1%
52,24
R$557,60


R$5.833,73
10R$5.833,73
1%
58,34
R$557,60


R$6.449,67
11R$6.449,67
1%
64,50
R$557,60


R$7.071,76
12R$7.071,76
1%
70,72
R$557,60
15%67,69R$7.632,39
13
R$7.632,39
1%
76,32
R$557,60


R$8.266,31
14R$8.266,31
1%
82,66
R$557,60


R$8.906,58
15R$8.906,58
1%
89,07
R$557,60


R$9.553,24
16R$9.553,24
1%
95,53
R$557,60


R$10.206,37
17R$10.206,37
1%
102,06
R$557,60


R$10.866,04
18R$10.866,04
1%
108,66
R$557,60


R$11.532,30
19R$11.532,30
1%
115,32
R$557,60


R$12.205,22
20R$12.205,22
1%
122,05
R$557,60


R$12.884,87
21R$12.884,87
1%
128,85
R$557,60


R$13.571,32
22R$13.571,32
1%
135,71
R$557,60


R$14.264,64
23R$14.264,64
1%
142,65
R$557,60


R$14.964,88
24R$14.964,88
1%
149,65
R$557,60
15%
202,28R$15.469,85

Valor a PrazoValor a Vista (5%)Lucro com 15 parcelasLucro com 24 parcelas
R$10.000,00R$9500,00R$ 1.636,00R$6.835,88


Com um investimento inicial de R$10.000,00 e aportes mensais de R$1.000,00 a uma taxa de juros de 1,0% ao mês durante aproximadamente 10 anos, este esforço lhe proporcionará aproximadamente R$ 236.287,21 contra um esforço de poupança de R$ 130,000,00 ou seja, seu dinheiro gerou mais R$106.287,21. Mantendo esse mesmo ritmo por mais 10 anos resultará em R$ 878.434,88 como mostra a tabela abaixo:


AnosValor AcumuladoJuro Correção (R$)Valor AdicionalImpostosImpostos (R$)Total (R$)
201210.000,0012%1.950,7512.000,0015%292,6123.658,14
201323.658,1412%3.682,9512.000,0015%552,4438.788,65
201438.788,6512%5.601,8712.000,0015%840,2855.550,24
201555.550,2412%7.727,6612.000,0015%1.159,1574.118,75
201674.118,7512%10.082,6212.000,0015%1.512,3994.688,98
201794.688,9812%11.362,6812.000,0015%1.704,40117.676,01
2018117.676,0112%15.606,7712.000,0015%2.341,01142.941,76
2019142.941,7612%18.811,1012.000,0015%2.821,66170.931,19
2020170.931,1912%22.3608612.000,0015%3.354,13201.937,92
2021201.937,9212%26.293,2912.000,0015%3.943,99236.287,21
2022236.287,2112%30.649,6412.000,0015%4.597,45274.339,41
2023274.339,4112%35.475,6112.000,0015%5.321,34316.493,67
2024316.493,6712%40.821,8212.000,0015%6.123,27369.315,49
2025369.315,4912%47.520,9512.000,0015%7.128,14421.708,30
2026421.708,3012%54.165,6712.000,0015%8.124,85479.749,12
2027479.749,1212%61.526,7012.000,0015%9.229,00544.046,82
2028544.046,8212%69.681,2612.000,0015%10.452,19615.275,89
2029615.275,8912%78.714,8912.000,0015%11.807,23694.183,54
2030694.183,5412%88.722,3512.000,0015%13.308,35781.597,54
2031781.597,5412%99.808,6312.000,0015%14.971,30878.434,88
2032878.434,8812%112.090,0312.000,0015%16.813,50
985.711,40
2033985.711,4012%125.090,0312.000,0015%18.854,311.104.552,48
20341.104.552,4812%140.767,4012.000,0015%21.115,111.236.204,77
20351.236.204,7712%157.464,2112.000,0015%23.619,631.382.049,35
20361.382.049,3512%175.960,9512.000,0015%26.394,141.543.616,16
20371.543.616,1612%196.451,6712.000,0015%29.467,751.722.600,08
20381.722.600,0812%219.151,3112.000,0015%32.872,701.920.878,70
20391.920.878,7012%244.298,0012.000,0015%36.644,702.140.532,00
20402.140.532,0012%272.155,5412.000,0015%40.823,332.383.864,20
20412.383.864,2012%303.016,1512.000,0015%45.452,422.653.427,93

Note que o valor poupado ao longo dos 20 anos é de R$250.000,00 e o restante é resultado dos juros trabalhando a seu favor. Aproximadamente no 23 ano a receita gerada será cada vez maior, mesmo que ao invés de contribuir, passe a usufruir desta receita. Seu capital terá entrado na roda do crescimento e mesmo que opte por aumentar seu padrão de vida, seus rendimentos continuarão crescendo. Lembrando que quanto maior for a taxa de juros, maior será o valor do seu patrimônio no final, como mostro na imagem abaixo:


De que lado que você quer estar? Com os juros a seu favor ou contra você? Então comece já, e melhore sua qualidade de vida.

OBS1: Vale lembrar que este calculo (planilha em anexo) é apenas um exemplo sobre o conceito de juros compostos com tributação sendo realizada uma vez por ano, já a tributação dos investimentos oferecidos no mercado são realizadas de acordo com cada modalidade. Ex: Fundos com cobrança semestral (come-cotas), ações com cobrança mensal referente ao resgate realizado no mês anterior (se realizado o resgate).
OBS2: Segue em anexo planilha de juros compostos para projeção de rentabilidade.